Unidade Amami da Enkyo inspira novas possibilidades e novos sonhos

Postado em: 15/03/2017

Por Erika Yamauti
Asteya Comunicação e Eventos

Um espaço criativo e acolhedor, fundado para promover a educação, a saúde, o respeito, a cultura e o lazer. O Centro de Ação Social Enkyo – Unidade Amami, localizado na Vila Carrão, atende atualmente 120 crianças e adolescentes residentes na Vila Carrão, Aricanduva e Vila Formosa, bairros da região Leste de São Paulo.

A unidade é mantida pela Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo (Enkyo) desde 2003. O trabalho começou timidamente, atendendo apenas 10 crianças, com uma equipe reduzida. Já no ano seguinte foi iniciada uma melhoria e padronização dos serviços, graças a um convênio firmado com a Prefeitura Municipal de São Paulo, aumentando a capacidade para 60 crianças e contratando mais funcionários para realizar oficinas de informática, trabalhos manuais, esportes, movimento e outras atividades, tudo isso com apoio da prefeitura e da Enkyo.

“Com o passar do tempo, o Centro de Referência Social Aricanduva manteve a nossa boa avaliação e recebemos algumas funções adicionais, como a captação para o programa Bolsa Família, encaminhamento para serviços públicos e postos de saúde, aumentando a importância do Amami para a comunidade. Hoje oferecemos serviço de psicoterapia, sabemos que infelizmente os serviços públicos não conseguem suprir essa necessidade, então a instituição traz uma alternativa para essas famílias, que enfrentam problemas como separação dos pais, falecimento, violência doméstica e trabalho infantil”, explica o gerente da unidade, William Shiguemi Shibuya.

Cultura e educação

A rotina no Amami inclui muita disciplina, diversão e brincadeiras, com turmas de cerca de 60 alunos em dois períodos. A equipe atualmente é composta por 10 funcionários. A programação segue das 8h ao meio-dia para a turma da manhã, e das 13 às 17 horas para a turma da tarde, incluindo duas refeições e no mínimo três oficinas diárias, divididas por grupos (6 aos 10 anos, 10 aos 12 anos e 13 aos 14 anos).

Entre as atividades, destaque para o Programa de Orientação para Informática. Em 2011, a unidade recebeu uma verba parlamentar que possibilitou a construção do laboratório digital, equipado com 36 máquinas, devidamente equipadas com baias e cadeiras, impressora de última geração, projetor e servidor interno. Também são oferecidas atividades de esporte, dança e trabalhos manuais.

O Amami realiza passeios culturais para as crianças e adolescentes atendidos pelo projeto: “Já estivemos no Museu Catavento, Museu do Futebol, Museu do Ônibus, Museu da Língua Portuguesa, também visitamos o estádio do Corinthians, e temos um programa de entretenimento, com passeios para uma chácara, além de visita a parques como Hopi Hari e a empresas privadas como a Yakult. Tentamos inserir a criança dentro de um universo que ela não conhece no seu cotidiano, com o objetivo de apresentar esse novo mundo, para ela visionar essas oportunidades no futuro próximo. Se ela sonhar, conseguirá crescer na vida. A minha pergunta para a nossa equipe é sempre essa: qual é o nosso olhar? Aonde podemos chegar? ”, reflete o gerente.

A entidade promove diversos eventos abertos ao público, como a Macarronada Solidária, a Feijoada Solidária, a Festa Junina e os bazares. Anualmente em outubro, também é organizada uma exposição de obras de arte, com a releitura de um artista escolhido pelas crianças ou pelos técnicos. Durante seis meses, as crianças trabalham no tema proposto, e expõem os trabalhos aos familiares e à comunidade, com sucesso. O último tema foi Yayoi Kusama, a artista japonesa “obcecada por bolinhas”, que expôs a mostra “Obsessão Infinita”, uma retrospectiva de seus trabalhos, no Instituto Tomie Ohtake em 2014.

Vulnerabilidade e risco

Muitas vezes, quem passa distraído pelas ruas tranquilas da Vila Carrão não imagina que exista uma população carente nessa área. “A região da Vila Carrão é constituída de muitas casas herdadas pelos pais. Nas famílias de baixa renda, existe um fenômeno no qual as famílias permanecem juntas, e se perdem o emprego, vão se juntando no mesmo terreno, formando aquilo que se chama de ‘cortiço’. Aparentemente é uma casa normal, mas quando entramos na residência, percebe-se que existem várias gerações morando juntas. A nossa instituição tem recebido uma procura muito grande e infelizmente não conseguimos suprir a demanda, algumas crianças ficam esperando pela vaga”, lamenta William.

“O Amami foi pensado pela Enkyo para garantir a proteção básica da criança fora do período escolar. Felizmente, temos alcançado muito mais, pois a família está com a gente, e nós estamos junto com a família. Quando eles passam por alguma dificuldade, é o Amami que ela busca. A família entra aqui e sai diferente, e esse é o ‘algo a mais’ que oferecemos, porque um projeto comum não teria esse espaço para escutar com atenção e responder com respeito. A criança sai daqui com mais possibilidades, pois mostramos que existe um mundo diferente lá fora. A criança que vive aqui está no meio das drogas, da violência, e o que falta é acesso, que o Amami proporciona”, esclarece a assistente social Rute Alves de Araújo Matos.

Esse trabalho mantido pela Enkyo é imprescindível para as crianças e famílias atendidas. ‘As mães trabalham fora, não tem onde deixar a criança. As nossas pesquisas mostram que quando as famílias são inseridas, algum grau de melhoria acontece: a mãe consegue emprego, a criança não realiza mais trabalho infantil, o pai é promovido. O espirito social está em toda a equipe, somos agentes públicos. Os funcionários são orientados a fazer o melhor, eles vestem a camisa e mostram sua dedicação em tempo integral. Esse carinho que todo mundo passa, é o que faz os funcionários e as crianças se dedicarem”, finaliza o gerente.

Informações:
Centro de Ação Social Enkyo – Unidade Amami 
Rua Dr. Jaci Barbosa, 352, Vila Carrão - São Paulo – SP
Tel.: (11) 2783-5662
E-mail: amami.nipo@terra.com.br

Conheça um pouco da história do Amami

O Centro de Ação Social Enkyo – Unidade Amami foi fundado em 7 de novembro de 2003, um ano após o encerramento das atividades da Associação Amami do Brasil, que doou o imóvel de sua antiga sede para a Enkyo. Após a doação, verificou-se que havia um grande número de crianças e adolescentes de famílias de baixa renda, e que faltava um espaço na região para a promoção da educação, da saúde, da cultura e do lazer.

A Enkyo detectou a necessidade de investir nesse público a fim de garantir os cuidados básicos e a proteção necessária, com um projeto social voltado para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e risco, oferecendo atividades socioeducativas, esportivas e de lazer que estimulam a formação de cidadão íntegros, responsáveis e mais felizes, garantindo o acesso à cultura, à informação, ao direito de brincar e ao resgate da autoestima.

Desde junho de 2004 até hoje, a entidade mantém um convênio para o atendimento com a Prefeitura Municipal de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social. Trata-se do único Centro para Crianças e Adolescentes (CCA) na região a possuir um laboratório de informática totalmente equipado, dispondo também de alta qualidade na oferta de serviços, oferecendo alimentação, oficinas, passeios, festas e eventos, e mantendo um quadro de funcionários motivados e empenhados em seu trabalho.


Compartilhe: